Archive for the notícias Category

FELIZ NATAL

Posted in notícias on 2011/12/24 by terrasencantadas

Anúncios

Entrevista ao programa E2

Posted in notícias on 2011/06/02 by terrasencantadas

O VENENO DE OFIÚSA – Crítica no blog Floresta de Livros

Posted in notícias on 2010/12/14 by terrasencantadas

“Mesclando História com Mitologia e Fantasia, este livro leva-nos a explorar um tempo antigo da nossa herança. Passado numa época da história ibérica, que eu praticamente desconheço, este livro conseguiu transmitir com bastante interesse a vida dos povos na era pré-romana da nossa terra.

Com personagens interessantes e diversificadas, mas que poderiam ter sido alvo de ainda maior desenvolvimento, acabo por não achar que tal falha seja muito notória, até porque este é apenas o primeiro livro de uma saga. O maior problema que vi, foi a forma como as mulheres foram retratadas, quase todas elas estereótipos (a bruxa má, a donzela em perigo, a deusa boazinha (ficamos sem perceber porque é que ela deixou que “aquilo” acontecesse à Lupia, quando passava  a vida a salvar os dois rapazes)), sendo que a única que escapa a isto é a Castécis.
Já os homens, embora todos guerreiros com o orgulho quase a entupir-lhes o raciocínio, conseguiram criar um leque coeso e diversificado, de onde se destacam Camal, Anio, Lancio e Cileu (não esquecendo o fofinho Zimbro, lobo de serviço).
Gostei também de como o autor fez uso das divindades, que embora não tivessem um papel central, estiveram em grande destaque.

Infelizmente certas personagens sofreram de pouca atenção, já que a maior parte da narrativa estava focada nas batalhas. E neste ponto, que na verdade não chegou a tornar-se monótono mas, que pecou pela exaustiva representação, achei que o autor poderia e deveria ter cortado descrições em prole de um ainda maior desenvolvimento das personagens, as suas motivações e as suas vidas antes da guerra. Certamente que o livro teria ganho com isso.

A escrita do autor consegue ser cativante, e rica, sem ser monótona ou abusiva. Está ao alcance do público-alvo (infanto/juvenil), mas não descura o público mais adulto. Não recorrendo a facilitismos e por isso sendo uma leitura em agradável.

Em suma, um livro que demonstra bem o público-alvo (quanto mais não seja por ter personagens principais adolescentes, e pelo foco nas batalhas), mas que não se fica por aí, conseguindo entreter. Peca por se focar demasiado nas batalhas, mesmo assim não descuidando um certo nível de desenvolvimento das personagens. Gostei muito do uso da história Ibérica, e do uso das divindades. Recomendo aos mais jovens, e aos adultos que gostem da nossa história e que não pretendam que estas leitura seja de uma extrema complexidade, mas que a vejam como um livro interessante.”

Ler mais

O Cão

Posted in notícias, paisagens, património on 2010/11/04 by terrasencantadas

Uma das particularidades que mais curiosidade me despertou na primeira vez que fui a Mértola foi, e isto aconteceu em todos os núcleos museológicos que visitei, ver que os/as recepcio- nistas dos museus estão acompanhados por pessoas (vizinhos, familiares) que ali se sentam a conversar com eles durante boa parte do dia. Alguns chegam mesmo a levar cães para dentro dos museus. E foi por isso que, enquanto inspeccionava os interessantes livros que estavam à venda no Museu de Arte Islâmica, fui mordido (na bota, felizmente) por um cão que tomou o movimento do meu pé, simplesmente a deslocar-se de um ponto de apoio para outro, como uma ameaça e reagiu mordendo-me.

Finanças

Posted in notícias on 2010/10/02 by terrasencantadas

Há alguns dias recebi um ofício que me convocava a comparecer na Repartição de Finanças de Odivelas com o propósito de esclarecer uma “aparente” contradição na minha declaração de IRS.

Estando eu inscrito na actividade de Criação Artística e Literária, declarei rendimentos provenientes de Propriedade Intelectual, sendo a entidade pagadora uma editora de livros.

Acontece que, por lapso, a entidade pagadora declarou que esses rendimentos não eram provenientes de Propriedade Intelectual. É um erro aceitável, mas deixa evidente uma contradição entre a actividade das entidades envolvidas e a natureza do pagamento efectuado. No entanto, os Serviços do IRS acharam mais seguro pedir-me esclarecimentos a mim.

O funcionário que me atendeu, bastante solícito e reverente, devo reconhecer, explicou-me que “é sempre assim que se faz”. Confrontei-o com a coerência dos dados por mim apresentados e com a incoerência dos dados apresentados pela entidade pagadora e perguntei-lhe se achava normal questionar primeiro quem não demonstra qualquer contradição.

Ouvindo-me com atenção, o solícito funcionário concordou que não havia qualquer incongruência na minha declaração de IRS, mas acrescentou, com toda a naturalidade, que a regra é contactar quem recebe e não quem paga. Mais ainda, demonstrando algum orgulho pelo vago cariz cultural da tarefa de que fora incumbido, disse-me que só no concelho de Odivelas tinham sido contactadas 26 pessoas na mesma situação que eu.

Talvez o referido funcionário tenha razão, talvez eu devesse revelar uma maior capacidade para entender as razões que movem a Direcção de Serviços do IRS. Os escritores são operários que lidam com ideias e palavras, matéria-prima que, nos dias que correm, instigam a aversão de muita gente. Nada mais cómodo que tratá-los como potenciais suspeitos de qualquer presumível crime, mesmo quando as pistas sugerem outros culpados.

O VENENO DE OFIÚSA – Crítica no blog As Estantes Azuis

Posted in notícias on 2010/09/16 by terrasencantadas

“Iniciei a leitura de “O Veneno de Ofiúsa” com algumas expectativas, pareceu-me no início uma história interessante, num contexto histórico que me atraiu bastante: Hispânia de XI a.C.
Desta época pouco sei ou conheço das aulas de história, logo estava interessado e ainda o facto de o autor explorar a história portuguesa, a Lusitânia, em conjunto com o nosso imaginário. O meu erro foi ter-me esquecido que se tratava dum livro para um público mais jovem…

Ora, Anio e Camal são dois jovens de uma das várias tribos dos Galaicos que aspiram a tornar-se guerreiros valorosos e líderes respeitados, contudo acontecimentos recentes levam-nos a enveredar por caminhos diferentes. O actual chefe da sua tribo (lugar reservado em último lugar a Camal e pai de Anio) começou relações com os Sefes, um povo rival que em tempos controlou grande parte da Península Ibérica tendo perdido território e poder para os Galaicos e Lusitanos.
Esta relação envenena o espírito deste chefe que se alia aos Sefes para reconquistar os antigos territórios perdidos. Este povo adora a deusa Ofiúsa e serve-se do poder desta para lançar a guerra por toda a Hispânia. Os seus primeiros rivais são os Estrímnios, o primeiro dos quatros povos a viver na Península Ibérica, contudo sem um espírito beligerante como os seus vizinhos sucumbiram e poucos povoados existem nos dias de hoje.

Anio e Camal não apoiando as escolhas da sua tribo revoltam-se mas juntos não tem força suficiente para lutar as comitivas dos Sefes. A sua revolta leva-os a fugir e nesta fuga encontram uma jóia cobiçada por todos os deuses e homens que a conhecem, pois nesta está contido o poder para reclamar a supremacia sobre tudo e todos.
Ofiúsa deseja e lança uma guerra onde Lusitanos e Galaicos terão de ser unir para vencer ou perecer…

Sem dúvida, uma história interessante mas soube a pouco, as personagens não foram nada desenvolvidas, parecendo estereótipos, e os poucos povos e deuses interessantes pouco destaque tiveram, acabando por serem um pano de fundo para a história.
Esta está focada principalmente nos movimentos das tropas, os combates e a guerra em geral, ou seja, um livro escrito para ser adorado pelos mais jovens.
Contudo encontra-se bem escrito e a premissa dos povos pré-romanos foi interessante, mas não me chegou.”

Ler mais

Entrevista ao blog Morrigan

Posted in notícias on 2010/08/18 by terrasencantadas

Podem ler aqui a entrevista que dei ao blog Morrighan.