Arquivo de Agosto, 2013

Superstições – O Sol e a Lua II

Posted in mitologia on 2013/08/30 by terrasencantadas

80

 

 

 

Na Maia atribuía-se carácter masculino ao Sol e feminino à Lua. Dizia-se que o primeiro tinha cara de homem, enquadrada pela longa barba, formada pelos raios, enquanto a segunda tinha cara de mulher e, por ser mais débil, era mais pálida.

Superstições – O Sol e a Lua

Posted in mitologia on 2013/08/28 by terrasencantadas

moura_encantada

 

 

 

Em Famalicão dizia-se que o Sol, para se vingar da Lua por ela correr tanto como ele e querer brilhar ainda mais, a cobriu de cinza.

Superstições – Influências da Lua

Posted in mitologia on 2013/08/26 by terrasencantadas

03

 

 

 

Em Lisboa acreditava-se que quem cortasse o cabelo durante o quarto-minguante vê-lo ia enfraquecer e cair.

Em Lisboa acreditava-se que a roupa das crianças devia ser recolhida do estendal antes que a noite caísse, caso contrário a criança apanharia a doença da Lua.

Superstições – O homem da Lua

Posted in mitologia on 2013/08/24 by terrasencantadas

018

 

 

Em Moncorvo dizia-se que a Lua mostra um homem carregando silvas às costas.

No Fratel esse homem carrega um cesto cheio de silvas e foi posto na Lua como castigo por trabalhar ao domingo.

Superstições – O sétimo filho

Posted in mitologia on 2013/08/22 by terrasencantadas

asinomem4O sétimo filho do sexo masculino torna-se lobisomem, a sétima filha torna-se bruxa. Para impedir que isso aconteça deve dar-se ao rapaz o nome de Adão e à rapariga deverá chamar-se Eva. O padrinho do baptizado deverá ser o irmão mais velho e a madrinha a irmã mais velha. Para além disto, deve-se-lhe fazer um pequeno corte, que derrame sangue, no dedo mínimo.

Superstições – Dias de bruxas e lobisomens

Posted in mitologia on 2013/08/20 by terrasencantadas

asinomem6

 

As segundas, quartas e sextas-feiras são dominadas pelas bruxas; às terças, quintas e sábados são os lobisomens que saem à rua.

Superstições – Lobisomens

Posted in mitologia on 2013/08/18 by terrasencantadas

asinomem1Para quebrar o fado a um lobisomem deve ir-se ao local onde este esteve a esponjar-se e largou o fato. Virando-lhe a roupa do avesso ele volta a ser um homem normal.

Em Moncorvo acreditava-se que quem nascesse a uma Sexta-feira seria lobisomem.