Arquivo de Setembro, 2012

Superstições – A Hora II

Posted in mitologia on 2012/09/30 by terrasencantadas

O pão que se guarda entre o meio-dia e a uma hora (intervalo de tempo a que o povo chamava a Hora) dura um ano interiro sem ganhar bolor.
A gema dos ovos postos pelas galinhas durante a Hora, dados a comer a quem deita sangue pela boca, acabam com as hemorregias.

Anúncios

Superstições – A Hora

Posted in mitologia on 2012/09/28 by terrasencantadas

“No Convento de S. Jerónimo, de freiras, em Viana do Alentejo, na quinta-feira da Ascenção, do meio-dia para a uma (chamado a Hora), quando se canta no coro, deitam para a igreja passarinhos (quase sempre andorinhas), com fitinhas encarnadas ao pescoço, e também rosas.”
Etnografia Portuguesa; José Leite de Vasconcelos; Vol VII, p. 314

Superstições – Varrer a fortuna

Posted in mitologia on 2012/09/26 by terrasencantadas

No Porto acreditava-se que quem varresse a casa ao sábado depois do meio-dia, estava a afastar a sorte. Se fosse absolutamente necessário varrer a casa nessa altura, devia deixar-se um monte de cisco atrás da porta, para evitar que a fortuna também fosse varrida.

Superstições – Meio-dia II

Posted in mitologia on 2012/09/24 by terrasencantadas

Em Baião acreditava-se que, ao meio-dia, não se devia estar debaixo de uma figueira nem de uma nogueira, porque estas
árvores soltavam uma gota que, se tocasse alguma pessoa, lhe cauzava paralizia ou qualquer outra doença que não teria cura.
Acreditava-se também que havia espiritos malignos que atacavam as pessoas a essa hora.

Quando a tarde se aproxima do fim vão surgindo os primeiros espíritos da noite, saídos do interior da terra para dançar ao 
luar. O tocar das Trindades é um momento muito perigoso. Quem vê estes espíritos é punido com a cegueira. A esta hora 
não se deve deixar a porta aberta nem sair de casa, mas quem tiver de o fazer deve benzer-se com água benta.

Superstições – As Trindades III

Posted in mitologia on 2012/09/22 by terrasencantadas

Em Barcelos acreditava-se que quem estava à porta de casa, ao tocar das Trindades, devia recolher-se para evitar o mau ar que circulava a essa hora e o podia deixar estropiado. Por isso, dizia-se que tinha sido arejado quem possuísse alguma deficiência física. Acreditava-se também que as bruxas possuíam uma pedra de ar com que faziam os seus bruxedos.