Arquivo de Abril, 2012

Personagens de Histórias Perdidas da Lusitânia – Cauceno

Posted in ficções on 2012/04/29 by terrasencantadas

Sacerdote do deus Larouco que é conhecido e respeitado, pela sua sabedoria, em toda a Galécia. Os poucos que conhecem a sua vida sabem que no passado foi um guerreiro cruel e arrogante que, depois de ter afrontado o deus Senaico sofreu uma severa punição que alterou definitivamente a sua vida.

Anúncios

Superstições – Contra a melancolia

Posted in mitologia on 2012/04/27 by terrasencantadas

Para afastar a melancolia deve usar-se no dedo um anel de metal amarelo. Qualquer metal serve para o efeito desde que seja amarelo, mas se for de ouro o resultado será mais eficaz.

Na região de Mangualde, contra a melancolia e o quebranto usa-se um anel de aço.

Na região de Vila Real de Trás-os-Montes usa-se um anel de aço para livrar das feiticeiras.

Atégina

Posted in ficções on 2012/04/25 by terrasencantadas

“Voltaram-se e viram uma mulher muito bonita que caminhava descalça sobre o chão macio da clareira. A sua voz parecia flutuar por todo o bosque. (…)

O vestido verde e delicado de Atégina contrastava com a paisagem rude que os envolvia e o seu cabelo ondulado e negro pendia sobre os seus ombros como frutos maduros nos ramos de uma árvore.”

inO VENENO DE OFIÚSA

Atégina era uma divindade, venerada pelos povos que habitavam entre o Tejo e o Guadiana, cujo culto estava associado à fertilidade. Em O Veneno de Ofiúsa a deusa desloca-se à Galécia, influenciando os acontecimentos que decorrem neste território e reflectindo a agitação que se vive entre os deuses da Hispânia, numa era conturbada em que estes deverão abandonar o mundo dos homens.

Superstições – O anel da má dor

Posted in mitologia on 2012/04/23 by terrasencantadas

O anel da má dor é bom para as dores na cabeça, nos olhos e nas fontes. É feito de arame ou de ferro e deve ser concluído em três dias. Começa-se na Quarta-feira Santa, continua-se no dia seguinte e termina-se na Sexta-feira Santa.

Outra versão afirma que deve ser feito de aço e colocado sob uma pedra de ara, na Quarta-feira de Trevas, onde deve permanecer até Sábado de Aleluia.

Personagens de Histórias Perdidas da Lusitânia – Camal

Posted in ficções on 2012/04/21 by terrasencantadas

Filho de Duatio, o chefe da tribo que precedeu Coronero. Embora não concorde com as acções do actual chefe, procura não o defrontar para evitar confrontos violentos entre o seu povo. Duvida que Duatio tenha morrido e inicia uma viagem pela Galécia com o objectivo de descobrir o que lhe aconteceu.

Superstições – O anel de corvina

Posted in mitologia on 2012/04/19 by terrasencantadas

Para evitar dores nos olhos usa-se o anel de corvina, que é feito com um osso de corvina embutido em prata. Este anel serve também de protecção para as enxaquecas.

Histórias Perdidas da Lusitânia

Posted in ficções on 2012/04/17 by terrasencantadas

O Veneno de Ofiúsa é o primeiro livro da saga Histórias Perdidas da Lusitânia. Para recriar a vida e os costumes dos povos pré-romanos que habitaram o território de Portugal recorri às informações que a história, a arqueologia e a linguística nos revelam, mas pretendendo criar um mundo de fantasia permiti-me alguns anacronismos e outras cedências à imaginação. Assim, as Histórias Perdidas da Lusitânia decorrem durante a Idade do Bronze, época que precede em alguns séculos as primeiras referências à presença dos Lusitanos na Península Ibérica. Para além disso, uma das fontes a que recorri para a construção desta Lusitânia foi a obra Monarquia Lusitana, escrita no século XVI, por Frei Bernardo de Brito. Trata-se da primeira História de Portugal escrita em língua portuguesa, na qual o autor relata um passado fantástico dos Lusitanos e faz referência a uma pouco credível dinastia de reis ibéricos fundada por Tubal, neto de Noé.