Superstições – O anel como oráculo

De um apontamento de Alice de Moura, recolhido em Lisboa: “O anel, um oráculo. – Num cabelo, que deve ser arrancado pela raiz, enfia-se um anel que será liso, todo da mesma largura e sem pedra alguma. Segurando-se na mão direita as duas pontas do cabelo, apoia-se o cotovelo de forma que fique o anel suspenso dentro de um copo de vidro liso; depois, tendo a mão bem firme, diz-se ‘anel, anel, diz-me a verdade, diz-me verdade; se eu ficar aprovada no exame a que sou hoje submetida, dá duas pancadas no copo; se ficar reprovada dá quatro’.
E, sem a mão se mexer, o anel começa a oscilar e bate nas paredes do copo com uma pancada, outra, outra… respondendo-nos assim.
Etnografia Portuguesa; José Leite de Vasconcelos; Vol IX, p. 193

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: