Arquivo de Dezembro, 2011

O duelo

Posted in ficções on 2011/12/31 by terrasencantadas

Abu Sakan estava a dois passos de al-Farah. À distância de um golpe do seu alfange, como já estivera muitas vezes, durante os oito séculos de vida que ambos partilhavam nas Terras Encantadas, e acabara sempre por escapar, valendo-se da argúcia, da magia ou da ajuda de outros servidores dos Encobertos. Sakan mantinha o alfange em baixo, como se pretendesse incentivar al-Farah a atacar, mas o alcaide de Sharish examinava-lhe minuciosamente a expressão do rosto, tentando prever o próximo movimento, procurando não se precipitar e dar vantagem ao outro. Deixar Abu Sakan escapar mais uma vez colocaria em perigo a vida de muitas pessoas e não queria correr esse risco.

As Máscaras do Solstício III

Posted in mitologia, património on 2011/12/29 by terrasencantadas

O isolamento das serranias Transmontanas preservou estes rituais de iniciação e de renovação. Nascidas talvez nos castros das tribos Galaicas, estas figuras simbolizam o que é velho, decadente e que deve perecer, durante o solstício de Inverno, para dar lugar à renovação do mundo.

As Máscaras do Solstício II

Posted in mitologia, património on 2011/12/27 by terrasencantadas

Numa época na qual impera a informação e a tecnologia, a figura do Careto mantém-se ainda impressionante, mas imaginemos como seriam vistas, em tempos antigos, estas entidades de rosto coberto por máscaras de lata ou madeira, exibindo feições deformadas, monstruosas, que entravam na aldeia numa dança endiabrada, fazendo soar furiosamente os chocalhos que traziam presos à cintura. Imaginemos como seria vistas estas figuras em épocas nas quais, sem electricidade ou meios de transporte eficientes, os Invernos eram mais gélidos e tristes, as noites eram mais escuras, medonhas, e as aldeias se encaixavam em vales sinuosos de onde era difícil sair ou entrar.

Natal em Monsaraz II

Posted in património on 2011/12/25 by terrasencantadas

O presépio estende-se por Monsaraz, arrastando a vila para tempos já esquecidos, em que o Natal era passado em redor da lareira, enquanto se ouvia o gemido do vento sobre a chaminé e velhas histórias tomavam vida na voz de quem as contava.

FELIZ NATAL

Posted in notícias on 2011/12/24 by terrasencantadas

Natal em Monsaraz I

Posted in património on 2011/12/23 by terrasencantadas

Pelas ruas antigas, impregnadas de memórias, espalham-se figuras misteriosas, bonecos sem vida, mas plenos de expressividade, que trazem o Natal à vila de Monsaraz. Uns de significado mais evidente, outros expressando atitudes mais nebulosas, sobressaindo da noite graças à luz pardacenta dos velhos candeeiros.

Histórias Perdidas da Lusitânia – O Veneno de Ofiúsa

Posted in ficções on 2011/12/22 by terrasencantadas