Arquivo de Abril, 2010

Feira do Livro de Lisboa

Posted in notícias on 2010/04/29 by terrasencantadas

No próximo domingo, dia 2, pelas 16h00, estarei no pavilhão da Saída de Emergência a autografar O Veneno de Ofiúsa.

Anúncios

Mais algumas referências a O Veneno de Ofiúsa…

Posted in notícias on 2010/04/19 by terrasencantadas

…nos blogues Marcador de Livros, As Leituras do Corvo, Páginas Desfolhadas, N Livros e no Portal da Literatura.

Primeiras referências a O VENENO DE OFIÚSA…

Posted in notícias on 2010/04/15 by terrasencantadas

…nos blogues Planetamarcia e Papéis e Letras.

“O VENENO DE OFIÚSA” JÁ CHEGOU ÀS LIVRARIAS

Posted in ficções, notícias on 2010/04/15 by terrasencantadas

Castro de Carvalhelhos

Posted in cenários, ficções, paisagens, património on 2010/04/10 by terrasencantadas

Situado no concelho de Boticas, é um castro da Idade do Ferro protegido por um complexo de defesa constituído por três linhas de muralhas, fossos e um campo de pedras fincadas. Este povoado fortificado foi edificado num local de assinalável beleza e serviu de cenário aos primeiros capítulos de O Veneno de Ofiúsa. É aqui que Anio e Camal iniciam a sua viagem pela Galécia.

Um breve excerto de “O Veneno de Ofiúsa”:

Posted in ficções, notícias on 2010/04/01 by terrasencantadas

“Cuidadosamente os dois amigos pegaram nas suas armas e espreitaram para fora da caverna. A chuva tornou-se ainda mais intensa, como se as próprias nuvens estivessem a despenhar-se sobre a terra, e o som daqueles passos pesados sobrepunha-se à chuva, atravessando-a e fazendo vibrar os grandes penedos.

Começaram a ver, a poucos passos dali, um homem alto, de roupas coloridas e brilhantes, usando um capacete dourado e uma grande lança que parecia ser feita de ouro e ao mesmo tempo tinha uma aparência sólida e letal. Estranhamente, a chuva e o vento que fustigavam o planalto, passavam por ele sem lhe tocar.

– Quem é? – perguntou Lupia, que se aproximou da entrada da caverna, por trás de Camal.

– É Debaroni, um deus da guerra – respondeu o Galaico, em voz baixa.”